Descompressão

Aplicativo viabiliza compra e venda de arte pelo celular

Sonia Nabarrete | 25 setembro 2017

O WYDR, aplicativo desenvolvido por dois estudantes suíços, possibilita a compra e venda de obras de arte em qualquer parte do mundo e faz sucesso: já tem mais de 1.200 artistas cadastrados e 30 mil usuários.

Inspirado no Tinder, o aplicativo de relacionamentos, o WYDR foi criado por Mathias Dorner e Timo Hahn durante o mestrado em Administração de Empresas na Universidade de Sant Gallen. O foco era inovação e empreendedorismo, mas como ambos são apaixonados por arte, fizeram um estudo de mercado que resultou no aplicativo para ser baixado no celular ou no computador.

Os artistas expoem seus trabalhos nesta galeria virtual informando apenas medidas, material utilizado e valor de venda. Os usuários podem se manifestar a respeito da peça deslizando o dedo para a direita, se agradar, ou para a esquerda, se não gostar.

A compra é efetivada com o pagamento por transferência bancária ou  PayPal, e o artista se encarrega de enviá-la ao comprador. Só quando o destinatário confirma o recebimento, a administração do aplicativo paga ao artista, retendo a porcentagem de 23%.

A denominação WYDR vem da junção das palavras white wall, referência às paredes brancas das galerias, e Tinder, aplicativo do qual tomou o formato. Além disso, Wider (que é como se pronuncia) significa amplo, em inglês. E o objetivo é justamente esse: ampliar o mundo das artes, dando acesso a artistas independentes e gente que gosta de arte, mas não tem acesso a galerias.

“Não estamos brincando de ser curadores. Estamos dizendo que todo mundo pode participar, criando uma comunidade com a qual todos possam contribuir, seja postando obras ou expressando sua opinião ao deslizar seus dedos à direita ou à esquerda. Basicamente, é a democratização do mercado de arte”, afirma Mathias Dorner. Os preços são definidos pelos artistas e a peça mais barata custa 29 euros.

O WYDR não é pioneiro, há outras plataformas de compra e venda de arte na internet, como Auctionata, Etsy, Paddle 8 e Saatchi Art, mas inova pelo formato semelhante ao Tinder. Na França, há a Artmajeur, que funciona como uma galeria virtual e tem quase 120 mil artistas cadastrados. As transações comerciais são feitas livremente entre os artistas e compradores. No plano básico, o artista não paga para expor até 10 obras e paga à agência 10% do valor de cada obra vendida. Na conta Premium, o artista paga uma mensalidade de 4,08 euros, fica livre de pagamento de comissão e pode expor um número ilimitado de obras. O Atmajeur também abriga sites de artistas, cobrando a mensalidade de 8,25 euros de cada um.

X

Contato

Se a sua empresa se encaixa no perfil para ser tornar Associada ou Patrocinadora, envie seus dados para podermos entrar em contato o mais breve possível.

X

Participe do Experience Club

X

Increva-se para receber
nossas Newsletters


Em breve novo site no ar!