Mercado

Os riscos de se investir no Brasil

Sonia Nabarrete | 3 outubro 2017

Os resultados do estudo Executive Opinion Survey, do F贸rum Econ么mico Mundial,聽mostram que os riscos de se investir no Brasil est茫o atrelados 脿 atual conjuntura pol铆tico-econ么mica. A pesquisa, que ouviu 12.411 executivos de 136 pa铆ses, entre janeiro e junho, para identificar os cinco maiores riscos de fazer neg贸cios em seus pa铆ses, com impacto nos pr贸ximos dez anos, mostrou que aqui as maiores amea莽as s茫o, pela ordem: falhas na governan莽a nacional; desemprego ou subemprego, falhas na infraestrutura, crise fiscal e do Estado. Todos estes fatores est茫o interligados e fazem parte do conflito institucional que o Brasil vive atualmente.

No mundo, o desemprego 鈥 ou subemprego 鈥 茅 o principal risco apontado, seguido de crise fiscal, falha na governan莽a, choque de pre莽o da energia e instabilidade social profunda. 聽Os entrevistados tamb茅m elencaram: falhas nas institui莽玫es ou mecanismos financeiros, na infraestrutura, conflito entre estados, ataques cibern茅ticos e terroristas.

John Scott, chief risk officer commercial insurance da Zurich, seguradora que apoiou a realiza莽茫o da pesquisa, afirma que os l铆deres empresariais est茫o focados nos riscos sociais e econ么micos, mas n茫o devem subestimar o impacto potencial dos riscos ambientais e tecnol贸gicos. 鈥淓mbora o crescimento econ么mico e o desenvolvimento tecnol贸gico criem novas oportunidades para empresas e pa铆ses, os riscos e eventos geopol铆ticos levaram a d煤vidas que levantam quest玫es sobre como gerenciar o neg贸cio em momentos de incerteza鈥, diz o executivo.

No Brasil, a quest茫o energ茅tica, apontada como o quarto maior risco global, est谩 sendo impactada pela inten莽茫o do governo de trocar os contratos que a Eletrobras tem hoje para mais de 10 mil MW, a pre莽o vari谩vel de R$ 60 a R$ 80, para contratos com valor de R$ 200. Esta diferen莽a, superior a 65%, ser谩 em grande parte usada para cobrir o d茅ficit or莽ament谩rio do Tesouro.

O governo pretende trocar o modelo adotado em pelo menos 15 usinas, que trabalham com o pre莽o fixo em cotas, pelo pre莽o de mercado, definido de acordo com a demanda e mais atraente para investidores. Pela proposta do governo, o consumidor vai pagar mais pela energia usada nos pr贸ximos 30 anos.

Um ranking divulgado pela Federa莽茫o das Ind煤strias do Rio de Janeiro coloca a 脥ndia com o custo de energia mais alto (596,96 reais por MW-h) do planeta, seguida da It谩lia, Singapura, Col么mbia e Rep煤blica Tcheca. O Brasil aparece em sexto lugar, com 46% superior 脿 m茅dia internacional, que 茅 de 275,74 por MW-h.

Realizado pela primeira vez, o Executive Opinion Survey 茅 um estudo intermedi谩rio e integra o Relat贸rio de Riscos Globais (GRR-Global Risk Report), que ser谩 divulgado durante o F贸rum Econ么mico Mundial de Davos, na Sui莽a, em janeiro de 2018.

O GRR, que est谩 na 12陋 edi莽茫o, ouve 750 especialistas em neg贸cios e sociedade civil pra detectar 30 riscos globais. Em 2016, os riscos mais prov谩veis apontados foram: migra莽茫o, quest玫es clim谩ticas, conflitos regionais e cat谩strofes naturais. Este ano, as quest玫es clim谩ticas subiram para o topo das probabilidades, seguidas de migra莽玫es, cat谩strofes naturais, ataques terroristas e digitais.

Com rela莽茫o ao impacto dos riscos, em 2016, a quest茫o clim谩tica aparecia em primeiro lugar, seguida de ataques terroristas e falta de 谩gua. Neste ano, os ataques terroristas tornaram-se a principal preocupa莽茫o.

X

Contato

Se a sua empresa se encaixa no perfil para ser tornar Associada ou Patrocinadora, envie seus dados para podermos entrar em contato o mais breve poss铆vel.

X

Participe do Experience Club

X

Increva-se para receber
nossas Newsletters


Em breve novo site no ar!