Compliance ajuda a focar no mais importante

Compliance ajuda a focar no mais importante

Para Renê Marzagão, CFO da Akzo Nobel, GRC é uma vantagem estratégica que supera as obrigações e ajuda na toma de decisões

Publicado em 27 de março de 2019

Ao invés de ficar debruçados nos balanços dos últimos trimestres esmiuçando o passado, os CFOs devem mirar no futuro. “Olhar para frente é fundamental”, aconselha Renê Marzagão, CFO da Akzo Nobel, gigante holandesa de tintas.

Embora muita gente enxergue o GRC (Governance, Risk Management and Compliance) como uma obrigação do tipo “mal necessário”, Renê garante que esse conceito bem executado é uma ótima munição para o CFO.

“O GRC ajuda a medir os riscos da organização, a dar mais transparência ao negócio e a focar no que é importante”, acredita Renê. É um tipo de ferramenta que visa evitar riscos organizacionais, auxilia na criação de valor e coloca a empresa na rota da entrega de resultados.

Essa vantagem estratégica é fundamental em tempos de aumento da concorrência, profundas mudanças tecnológicas e eventos externos que podem (e afetam) as empresas, a exemplo das políticas monetárias e econômicas. “Isso ajuda as empresas a reforçarem suas defesas, a partir da entrega de resultados e da redução do nível de risco.”

Técnico em contabilidade, Renê contou ainda que, em seus tempos de faculdade, assistiu uma palestra do comandante Rolim Amaro. Ele falou uma frase jamais esquecida e que se encaixa bem nesse contexto. “O melhor jeito de ganhar dinheiro é não perder. Mas até hoje vejo isso acontecendo nas empresas. E o GRC é um ótimo caminho para mudar esse cenário.”

Texto: Françoise Terzian

Foto: Marcos Mesquita/Experience Club