Kits natalinos BRF fortalecem reconhecimento a colaboradores

Kits natalinos BRF fortalecem reconhecimento a colaboradores

Report: Como os kits natalinos da BRF podem ajudar nos programas de engajamento e premiação neste fim de ano

Publicado em 13 de novembro de 2020

Desde março, com a chegada da pandemia de Covid-19 ao país, milhões de pessoas ficaram em quarentena em suas casas no Brasil inteiro. Mas o país não parou. O campo continuou produzindo alimentos, a indústria permaneceu trabalhando e as atividades que podiam ser realizadas online migraram das sedes das empresas para a casa dos colaboradores. Graças a um esforço gigantesco, de milhões de pessoas, o país continuou funcionando, mesmo em isolamento social. 

E se as empresas não pararam graças ao esforço das pessoas, é natural que elas sejam reconhecidas como o verdadeiro motor da economia. 

Foi um ano desafiador e um período de aprendizados, mas é preciso manter as equipes engajadas e focadas nos resultados, como conta nesta entrevista ao Experience Club o vice-presidente de Mercado Brasil da BRF, Sidney Manzaro

“O maior aprendizado é a superação. Entender como lidar com um cenário sem precedentes, manter as equipes engajadas, focadas nos resultados e se cuidando. Cuidando delas e dos próximos. O novo cenário fez com que a gente quebrasse alguns paradigmas de como lidar, mesmo a distância, com situações tão relevantes e importantes.”

Sidney Manzaro, VP de Mercado Brasil

São várias as maneiras de reconhecer o esforço dos colaboradores, o coração de todo negócio: de uma política clara e transparente de promoções e ascensão na carreira a um apoio quando o pai ou a mãe não tem onde deixar os filhos porque as escolas estão fechadas. Cada pessoa tem uma necessidade e programas de reconhecimento realmente efetivos precisam levar isso em conta. Ouvir, perguntar e colocar as pessoas no centro. 

Kits BRF vêm ajudando empresas a reconhecer equipes há mais de 20 anos 

E como manter a equipe engajada? A BRF tem uma longa experiência neste assunto, não apenas com os seus 90 mil colaboradores, que atuam numa ampla e complexa cadeia produtiva, mas também ajudando outras empresas a presentear suas equipes com seus kits de Natal, com produtos tradicionais desta época como o Peru Sadia e o Chester Perdigão. 

Terceira maior produtora de frango do mundo, a BRF – empresa criada em 2009 com a fusão da Sadia e da Perdigão e presente em mais de 150 países, com 36 complexos fabris e 47 centros de distribuição – responde por 11% do comércio mundial de aves. 

No Brasil, é líder em produção de proteína animal e exportação de aves e faz 500 mil entregas mensais, em 90% do território nacional. 

No mercado de cestas congeladas, a BRF atua há mais de 20 anos, com share de 64% em kits natalinos. Os dois produtos carros-chefe também são líderes em seus mercados. O Peru Sadia tem 75% de participação na categoria Peru e o Chester Perdigão responde por 60% do segmento de Aves Especiais. Há três anos, é a campeã do prêmio Melhores Fornecedores para RH, na categoria Alimentos Congelados. 

A importância do presente de Natal 

O presente de Natal é tão importante como estratégia de RH que muitas empresas fazem um evento especial para a distribuição das cestas, e em muitas delas os diretores entregam o brinde pessoalmente. O vice-presidente Global de Gente, Serviços e Tecnologia da BRF, Alessandro Bonorino, se lembra de quando, ainda no começo da carreira, trabalhava em outra empresa e entregava os kits pessoalmente aos colaboradores na festa de fim de ano. “Eu me lembro de a gente fazendo o evento e eu chorando como criança”, contou Bonorino na LIVE Como Reconhecer e Engajar ColaboradoresClique aqui para assistir à íntegra. 

Neste ano, ele acredita que eventos deste tipo terão um significado maior, já que muitas pessoas ficaram bastante tempo isoladas. 

“Este Natal vai ser ainda mais especial, por tudo o que a gente está passando. Famílias vão estar em grupos menores e vão dar ainda mais valor a este encontro. Os kits são uma grande oportunidade para as companhias reconhecerem, celebrarem esse momento e engajarem seus colaboradores.”

Alessandro Bonorino, VP Global de Vendas, Serviços e Tecnologia

O gerente-executivo de Kits e Novos Negócios da BRF, Marcos Dala Pola, diz que já tem notado no mercado um movimento de empresas melhorando os kits natalinos dos colaboradores, transferindo para o presente entregue diretamente ao colaborador parte da verba que seria destinada a eventos de confraternização, que este ano não devem ocorrer, para evitar aglomerações. 

Segurança na entrega do brinde de Natal é fundamental 

Mas, como conciliar a mensagem de cuidado, de ficar em casa o máximo possível, com o recebimento de um kit natalino, especialmente para os membros da equipe que estão trabalhando de forma remota? A BRF usou sua própria experiência com os colaboradores para criar os protocolos que depois seriam utilizados para auxiliar os clientes. 

Desde o início da pandemia, e até mesmo antes da chegada da Covid-19 ao Brasil, a BRF já vinha acompanhando a situação na Ásia e na Europa, por meio de suas unidades nessas regiões. 

E ainda no início, antes mesmo das restrições no Brasil, a companhia já começou a elaborar os protocolos que protegeriam as equipes que tiveram que continuar trabalhando em campo e, consequentemente, os clientes. Primeiro, a BRF contratou uma consultoria com o infectologista Esper Kallas, um dos maiores especialistas na área no país, e depois uma equipe do Hospital Israelita Albert Einstein. Foram então criados protocolos rígidos, para garantir ao mesmo tempo o funcionamento dos serviços essenciais e proteger as pessoas, sejam colaboradores ou as comunidades onde atuam. 

“Nossas iniciativas de reação rápida foram fundamentais. Antes mesmo da Covid chegar já tínhamos um comitê de acompanhamento instituído, tomando medidas que poderiam nos preparar. Quando aconteceu, já tínhamos planos para atuar no agro, nas fábricas, para atuar em logística, em vendas, e acho que esta antecipação nos trouxe alguma vantagem”, diz o vice-presidente de Mercado Brasil da BRF, Sidney Manzaro. 

Cuidado começou com as equipes da própria BRF 

A proteção começou em casa, logo nos primeiros meses, com o afastamento do trabalho dos grupos de risco, com proteção do emprego, e contratação de 2 mil profissionais para substitui-los. Créditos em produtos BRF ou no vale-refeição para as equipes que continuaram atuando na linha de frente e canais de atendimento médico 24 horas também foram colocados à disposição. 

“A palavra-chave é cuidar das pessoas”, diz o vice-presidente Global de Gente, Serviços e Tecnologia da BRF, Alessandro Bonorino. “Fizemos um trabalho muito grande de equipamentos de proteção individual, garantindo que as pessoas pudessem chegar em segurança ao local de trabalho, com ônibus, carona solidária, muito treinamento. Testamos todo mundo antes de voltar”, afirmou. 

Um fundo de R$ 50 milhões foi instituído para apoiar ações com a comunidade e incluiu tanto atividades educativas, com campanhas de informação, quanto doação de cestas de produtos BRF para profissionais da linha de frente, especialmente na área de saúde. 

Os procedimentos de segurança criados para a entrega dessas cestas, com confirmação prévia, escalonamento de horários, filas com afastamento social e higienização rigorosa em todas as etapas, ajudaram a desenvolver um protocolo que vem sendo usado também na entrega das cestas de Natal. Procedimentos que também variam de acordo com as necessidades de cada cliente e são desenhadas em conjunto, como explica o gerente-executivo de Kits e Novos Negócios da BRF, Marcos Dala Pola. 

Planejamento para a produção dos kits começa um ano antes 

A pandemia trouxe novos desafios. Mas a logística para entregar uma quantidade tão grande de produtos num prazo tão curto, em todo o território nacional, já exigia um planejamento rigoroso. Para chegar a este resultado, a operação de kits de Natal começa ainda no início do ano. 

A criação dos perus começa em janeiro e a dos chesters, em março. De agosto a dezembro, as cestas são montadas nas fábricas, com segurança e rastreabilidade. Entre setembro e novembro, os produtos seguem para os centros de distribuição. A entrega, em novembro e dezembro, é feita em frota refrigerada e 100% monitorada, com atendimento personalizado. 

No ano passado, os 3,1 milhões de kits da BRF chegaram a 1.200 cidades, envolvendo mais de 1.500 pessoas em 47 mil entregas realizadas por mais de 900 veículos. 

São mais de 30 opções de presentes, em diversos canais de venda: e-commerce, vendedores e televendas, além dos 25 mercados espalhados pelo Brasil e 14 caminhões que atendem condomínios empresariais e residenciais. Compras acima de 3 mil kits recebem um atendimento exclusivo. No ano passado, foram mais de 47 mil entregas entre 21 de novembro e 23 de dezembro, com 99,2% de efetividade. No total, foram percorridos 2,5 milhões de quilômetros, o equivalente a 50 voltas no globo. 

Texto: Denize Bacoccina

Imagens: Reprodução | Experience Club