O poder da ação

O poder da ação

Faça sua vida ideal sair do papel, por Paulo Vieira

Publicado em 24 de julho de 2020

Ideias centrais: 

1- Não importa se seu objetivo é ousado ou muito fácil de conquistar. O que realmente vai importar é o que de fato você fará para conquistar seu objetivo, ou seja, a quantidade e a qualidade das ações empreendidas. 

2- Por mais doloroso que seja, foi você que levou sua vida ao ponto em que está hoje. Sendo assim, só você poderá mudar essa circunstância. 

3- Foco, portanto, é a capacidade humana de concentrar energia num único ponto com força suficiente para realizar mudanças e realizações rápidas. 

4- Responda sinceramente: como você tem usado as suas palavras, para construir, para destruir ou para manter a vida do mesmo jeito? 

5- Estudos confirmam que, quando temos a crença de identidade forte, adequada e alinhada com a crença de capacidade, naturalmente passamos a construir a crença de merecimento. 

Sobre o autor:

 

Paulo Vieira: escritor e conferencista internacional. Phd em Administração pela Florida Christian University (FCU). É professor na mesma FCU. Realizou mais de 10 mil horas de sessões de coaching. Criador do Método CIS® e da metodologia do Coaching Integral Sistêmico. 

Prefácio 

Roberto Shinyashiki, médico, palestrante e escritor, é bem enfático quanto à natureza, o objetivo do livro de Paulo Vieira. Vejamos suas palavras: “Este livro resolve estes dois desafios: ajuda você a acreditar na sua capacidade de realização e lhe oferece um método para o sucesso. Quem não sente a ânsia de ser mais, não chegará a nada. Será um aborto de seus sonhos. Nunca mude seus sonhos. Se tiver de mudar algo na sua vida, troque de emprego, troque de chefe, troque de negócio, mas não troque de sonho. Batalhe por ele. Nunca chame de amigo alguém que o aconselhe a viver  com menos do que você merece. Acredite sempre no seu sonho e pague o preço. Não existe sonho de graça. Pague o preço e celebre.” E o médico, alicerçado em Vieira, justifica essa luta de cada pessoa na sua realização: “As pessoas ambiciosas fazem a humanidade evoluir. São os cientistas inconformados com o fato de uma moléstia dizimar vidas que encontram a cura para os pacientes”. Da mesma forma são os pais que querem futuro melhor para os filhos que lutam por sua formação. 

Introdução 

Paulo Vieira faz a sua apresentação, falando de sua carreira como divulgador do coaching para o desenvolvimento de pessoas. “Tive a felicidade de ser criador do Método Integral Sistêmico de Coaching e do curso Método CIS® (Coaching Integral Sistêmico), o maior treinamento de inteligência emocional de toda a América latina, ministrei treinamento para mais de 250 mil pessoas em quatro continentes. Sou também o fundador da Federação Brasileira de Coaching Integral Sistêmico (Febracis), uma das três maiores instituições de coaching do mundo, com uma equipe de mais de cem colaboradores diretos e com sede internacional em Orlando, nos Estados Unidos”. Vieira é otimista em relação ao homem, dizendo que existem recursos em cada pessoa suficientes para realizar muito mais do que todas as metas juntas que essa pessoa um dia sonhou. 

Capítulo I – Acorde 

Para atingir seus objetivos, a pessoa precisa de uma profunda autoanálise, fazendo-se questionamentos dentro da trilogia: ser, fazer e ter o melhor. 

(  ) Como capitão do barco da sua vida ou 

(  ) como o marinheiro à espera de ordens? 

(  ) Como o diretor do filme da sua vida ou 

(  ) como coadjuvante que espera sua vez de entrar em cena? 

(  ) Como o escritor do livro da sua vida ou 

( ) como um personagem à espera do próximo capítulo? 

A função dessas perguntas e respostas é: acorde. Importante é acordar para uma vida abundante. Para isso, Paulo Vieira se apoia numa frase de Cristo: “…mas eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância”. Conclusão do autor: “E tudo o que não é abundância na sua vida é disfunção. E toda disfunção deve e merece ser tratada”. Nós não podemos confundir o que é normal com o que é comum. Falar com a esposa friamente pode ser comum, mas não é normal. Tomar remédio para dormir pode ser comum, mas não é normal. Não haver diálogo em casa pode ser comum em muitos lares, mas de jeito nenhum é normal. Estar acima do peso é comum, mas não é normal. As pessoas estão confundindo e transformando o que é comum em normal. 

Não importa a situação em que sua vida esteja hoje. A primeira coisa que deve fazer para mudar a forma como vive é ACORDAR e entender a diferença entre normal e comum. Depois, saber que é possível ter uma vida maravilhosamente normal. E, por fim, estar disposto a construir um padrão de vida baseado numa rotina de excelência. 

Capítulo II – Aja 

O autor pede para imaginar um grande tonel de madeira, como um barril de madeira gigante. Ele mede três metros de altura por dois de largura. É feito de madeira escura e com amarrações de metal ao seu redor. Diferentemente de um tonel comum, esse não tem tampa na parte superior, fica sempre aberto. Não é uma brincadeira desnecessária, pois na verdade é uma etapa muito importante chamada Representação Metafórica Interna, mais comumente conhecida como RMI. 

Dando mais informações a essa representação, pede-se que você veja esse tonel cheio e transbordando de uma substância muito fétida. Uma substância pastosa de cor marrom-escura. Muitas moscas e insetos sobrevoam e pousam no tonel e na substância pastosa. Lembre-se de que o cheiro é insuportável a ponto de ter afastado a maioria das pessoas que estavam ao redor dele. Talvez você esteja travando um diálogo com uma pessoa em cima do tonel. E diga a essa pessoa: “Venha para cá, desça daí… pare de beber, o álcool está matando você. Por favor olhe para sua família, para seus pais, para seus filhos. Pare com isso, venha para cá.” Outro diálogo com essa pessoa pode ser assim: “Saia daí. Esse não o seu lugar. Você pode mais, muito mais do que isso. Desça daí. Venha assumir a responsabilidade pelo seu futuro financeiro e profissional. Saia do muro. Faça algo de verdade por você e pelos seus”. 

É preciso sair da zona de conforto. A zona de conforto parece um lugar supostamente seguro, mas na prática ela nos acorrenta e nos mantém presos, inertes, imóveis enquanto o mundo está acontecendo lá fora e nós envelhecendo aqui em cima. Palavras de Vieira: “Zona de conforto é a combinação de várias mentiras paralisantes com prazo de validade vencido”.Entendendo a metáfora do tonel e o que é zona de conforto e as consequências na vida das pessoas, mas sobretudo em sua vida, posso lhe fazer um segundo convite: aja. Tem poder quem age e mais poder ainda quem age certo. 

Humanamente falando, a única coisa que nos separa de nossos objetivos é a nossa capacidade de agir. A qualidade de nossas ações e a somatória delas são os fatores que determinarão quanto tempo levaremos para realizar uma meta. Não importa se seu objetivo é ousado ou muito fácil de conquistar. O que realmente vai importar é o que de fato você fará para conquistar seu objetivo, ou seja, a quantidade e a qualidade das ações implantadas. 

Capítulo III – Autorresponsabilize-se 

Conforme Paulo Vieira: você é o único responsável pela vida que tem levado. Você está onde se colocou. A vida que tem levado é absolutamente mérito seu, seja pelas suas ações conscientes ou inconscientes, seja pela qualidade de seus pensamentos, seus comportamentos e suas palavras. Por mais doloroso que seja, foi você que levou sua vida ao ponto em que está hoje. Sendo assim, só você  poderá mudar essa circunstância. 

Dentro dessa perspectiva, se você não está satisfeito com os resultados obtidos, basta reconhecer o que está errado, reconhecer que suas escolhas e seus caminhos não têm sido satisfatórios e então redirecioná-los, de forma autorresponsável, objetiva e consciente. Autorresponsabilidade é a capacidade racional de trazer para si toda a responsabilidade por tudo o que acontece em sua vida, por mais inexplicável que seja, por mais que pareça estar fora do seu controle e das suas mãos. 

Após uma derrota, pessoas de grandes conquistas não culpam as circunstâncias, as outras pessoas ou o destino. Elas assumem a responsabilidade pelos resultados e se perguntam: o que eu devo fazer de modo diferente para que da próxima vez os resultados sejam melhores? Muitas pessoas em busca de emprego tiram de si a responsabilidade pelo seu desemprego: houve um corte na empresa, a crise é grande, houve redução de quadro etc. 

. Um exemplo. Nelson Mandela passou 27 anos na prisão, muitos deles na solitária. Enquanto vários de seus colegas de cela se lamentavam, colocavam-se como vítimas do apartheid e dos colonizadores brancos, Nelson Mandela se colocava como autor de sua história. Ele responsabilizava a minoria branca pelo fato de estar preso; entretanto, ele se considerava o único responsável pelos seus sentimentos, seus pensamentos e atitudes na prisão. Dizia: “Meu corpo eles podem ter prendido, mas a minha mente (pensamentos e sentimentos) sou eu que controlo” 

  1. O autor teve um cliente que foi fiel aos ensinamentos de um livro seu, Eu, líder eficaz. E esse cliente  relatou-lhe que teve bom êxito, aplicando as seis leis de autorresponsabilidade explicitadas no livro. São elas: 
  2. Se for criticar as pessoas… cale-se. 
  3. Se for reclamar das circunstâncias… dê sugestão. 
  4. Se for buscar culpados… busque a solução. 
  5. Se for se fazer de vítima… faça-se de vencedor. 
  6. Se for justificar seus erros… aprenda com eles. 
  7. Se for julgar alguém… julgue a atitude dessa pessoa. 

Capítulo IV – Foque 

O que é foco? Foco é aproveitar a energia disponível e concentrá-la em um único ponto e assim produzir energia suficiente para que haja mudança. Não que não houvesse energia antes, ela apenas estava dispersa. Não que não houvesse luz, ela apenas não estava concentrada em um único ponto. A luz do sol por si só não gera calor suficiente para produzir fogo numa folha de papel. Contudo, quando se coloca a lupa e se ajusta o foco para que os raios de sol convirjam para apenas um ponto, faz-se fogo. Foco, portanto, é a capacidade humana de concentrar energias num único ponto com força suficiente para produzir mudança e realizações rápidas. 

Entretanto, a capacidade de manter o mesmo foco até que a mudança aconteça está intimamente ligada à maturidade emocional. O que se quer dizer é que as pessoas imaturas não conseguem manter o foco nos seus objetivos. Pessoas imaturas começam e logo perdem a perspectiva do que de fato importa fazer ou conquistar. Essas pessoas são como crianças que querem muito, mas fazem pouco ou quase nada para conquistar seus sonhos ou resolver seus problemas. E, pela falta de responsabilidade, típica de uma criança, ficam esperando alguém ou a divina providência fazer algo por eles. 

Vamos a um exemplo: 

Pilar: saúde 

O que é mais importante: caminhar duas vezes por semana e malhar duas vezes na semana. 

Distração: ficar vendo TV mais tarde e não acordar para fazer atividades físicas. 

O que fazer para eliminar a distração: tirar a TV do quarto. 

O fundamento da Agenda da Vida Extraordinária é produzir foco no que de fato é importante na sua vida e não deixar que você se distancie dele ao longo do tempo. E assim produzir ações consistentes que gerem uma rotina de excelência e, com ela, um estilo de vida abundante. Devemos ter em mente que uma vida abundante é aquela que contempla ações e comportamentos produtivos em todos os pilares da vida humana. Infelizmente, diz Vieira, o que tenho visto em mais de dez mil horas de sessões de coaching são pessoas que dedicam 80% do seu foco a uma ou duas áreas da vida. E por ter ganhos e conquistas nessas áreas, enganam-se achando que têm uma vida de sucesso ou que são felizes. A pessoa pode estar bastante rica, mas esqueceu o foco na família, na mulher e nos filhos. O foco tem três facetas principais; 1) Foco visionário; saber com clareza quais são as suas metas e seus objetivos, a ponto de poder vê-los intencionalmente em sua mente com toda a lucidez. 2) Foco comportamental: dedicar tempo e atenção para produzir energia suficiente para gerar mudanças internas e externas. E essa energia é produzida através do uso repetido de três canais neurológicos: comunicação, pensamento e sentimento. 3) Foco consistente: é a capacidade de manter em mente o foco visionário e o comportamental por tempo suficiente para que sejam produzidas mudanças consistentes e massivas. 

Capítulo V – Comunique-se 

Cada vez mais cientistas mostram que existe grande poder não apenas nas palavras ditas, como também na própria estrutura linguística. Paulo Vieira, como criador do método CIS® e do Coaching Integral Sistêmico, tem visto e ouvido depoimentos fantásticos de transformações rápidas e profundas, e muitas delas apenas pela mudança da estrutura linguística. As palavras e suas estruturas são ferramentas, armas poderosas 100% disponíveis a qualquer um que queira utilizá-las. 

O que seria a linguagem? Linguagem é o meio pelo qual exprimimos nossas ideias, nossos sentimentos, nossas vontades a nós mesmos e a muitas pessoas. Provavelmente você já testemunhou pessoas com dificuldades de expressar o que querem comunicar. À medida que elas aprimoram sua linguagem, seja escrita, falada ou por sinais, elas conseguem  mais eficientemente passar suas mensagens para outras pessoas. Um cientista chamado Masaro Emoto, da Universidade de Yokohama, mostra que, por meio de emoções, produzidas principalmente pelas palavras faladas, a estrutura molecular da água foi alterada. Ele conseguiu mostrar seu ponto de vista congelando a água e observando-a em microscópio de fundo escuro. Qando se emitiam boas palavras ou se comunicavam coisas positivas para a água, os cristais de gelo se apresentavam firmes e belos. No entanto, quando se emitiam palavras negativas, acusadoras e grosseiras, os cristais da água congelada se tornavam disformes e escureciam. 

Urge, então, zelar pela qualidade das palavras. Para tanto seria útil responder às seguintes perguntas: 

  • Sinceramente como você tem usado as suas palavras, para construir, para destruir ou para manter a vida do mesmo jeito? 
  • Em que áreas da sua vida você tem verdadeiramente amaldiçoado a si e a sua vida? 
  • Em qual ocasião na sua vida você viu o poder da palavra se manifestar de forma poderosa? 
  • Quais palavras ou falas precisam ser eliminadas de sua vida, com urgência? 

Dois estilos linguísticos funcionam como verdadeiras vacinas ou antídotos linguísticos: a gratidão e a perfeita linguagem. A gratidão é um estilo linguístico poderoso e transformador que vem sendo cada vez mais estudado pela Psicologia Social e pela Psicologia Positiva. No Coaching Integral Sistêmico, Paulo Vieira não só pesquisa, como também aprofunda o uso e o benefício da manifestação da gratidão em todas as suas formas. Robert A. Emmons, psicólogo social e pesquisador da Universidade da Califórnia (Davis), vem há anos estudando os efeitos práticos nas pessoas que comunicam gratidão. Segundo sua pesquisa, pessoas que comunicam a gratidão possuem emoções mais positivas, como alegria, entusiasmo, amor, felicidade e otimismo, e que essa prática protege essas pessoas de sentimentos negativos, como inveja, ressentimentos, ganância e depressão. E ele continua sua afirmação mostrando que o indivíduo grato é capaz de lidar com mais eficácia com o estresse diário. 

Outro estilo linguístico é a perfeita linguagem.

Tudo comunica, os gestos comunicam, a postura comunica. Tudo comunica, até omissão e ausência comunicam. E toda comunicação emite simultaneamente um comando externo e outro interno.

O comando externo vai ao mundo, às pessoas, levando consigo sua comunicação, já o comando interno vai para dentro de você, reforçando suas crenças ou modificando-as. Quais as bases palpáveis da perfeita linguagem e de sua eficácia no dia-a-dia. O conteúdo diz respeito ao que é produzido na pessoa que recebe a sua comunicação. O conteúdo da perfeita linguagem possui quatro fundamentos: pertencimento, importância, significado e distinção. Esses fundamentos constroem, ou destroem, aproximam ou afastam, curam ou adoecem, motivam ou desmotivam. 

Capítulo VI – Questione 

As respostas serão sempre importantes, porém não superam as perguntas em importância e poder. Pois as respostas costumam ser limitadas e temporais e as perguntas são ilimitadas e atemporais, diz Paulo Vieira. Esse o problema, as pessoas não param para pensar por que agem como agem ou por que querem o que querem. É hora de começar a questionar muitas coisas em sua vida, enquanto é tempo. 

Pessoas vitoriosas buscam uma multidão de conselheiros. Já pessoas emocionalmente limitadas buscam sozinhas seus caminhos e seus destinos e nunca os questionam Quando ouvimos nossas verdades e as verdades de outras pessoas, precisamos ter em mente duas questões: quem é a pessoa a dar ouvidos e os resultados que ela vem tendo. Pois o bom senso diz que primeiro precisamos confiar na intenção de quem nos aconselha e depois na competência da pessoa na área. 

As pessoas super-humanas fazem Perguntas Poderosas de Sabedoria (PPSs) como estilo de vida abundante. São pessoas que questionam seus limites, suas origens e seus medos, questionam tudo o que pode de alguma maneira ser melhor. Questionam até o significado de suas conquistas e vitórias. Para ser super-humano, entretanto, não basta questionar, é necessário buscar as respostas para os questionamentos. 

O que distingue as perguntas comuns das PPSs? Elas seguem cinco critérios: 1) Orientadas principalmente para o futuro. 2) Orientadas para a ação e a reflexão. 3) Orientadas para a solução. 4)  Orientadas para metas e objetivos. 5) Orientadas para a autorresponsabilidade. 

Capitulo VII – Creia

 Este capítulo traz outra possibilidade para nossos resultados e nosso estilo de vida: nossas crenças. A referência não é necessariamente ao credo religioso e sim à programação mental em forma de circuitos neurais. Esses circuitos possuem informações ou programas que regem e comandam todos os comportamentos e todas as respostas humanas aos estímulos recebidos. Nos circuitos neurais, estão armazenados todos os aprendizados e as informações acumuladas pelo individuo ao longo da vida e até durante a gestação. 

É possível que você tenha tido um passado difícil, e isso tenha gerado um aprendizado de comportamentos depressivos, ou seja, circuitos neurais que promovem uma vida triste e sem sentido. A existência da plasticidade neural quer dizer que você não está condenado a ser uma pessoa triste e depressiva, o resto da vida. Você pode aprender a ser feliz e altivo, agora. Plasticidade neural é sinônimo de esperança e liberdade. É como dizer: “Minha vida tem jeito e posso ser ainda melhor e mais feliz hoje”. 

O objetivo deste livro é produzir estímulos emocionais e cognitivos suficientes para haver novas sinapses neurais, ou seja, uma nova e diferente maneira de conectar os neurônios. O desafio é causar nas pessoas estímulos sensoriais (auditivo, visual e sinestésico) fortes e repetidos o suficiente para produzir novas crenças. E junto com as novas crenças, nova vida. 

No entanto, como você sabe, existe a plasticidade neural que nos confere a capacidade de mudar nossas crenças a qualquer momento. E você também sabe que mudanças acontecem depressa, quando usamos os mecanismos e as estratégias neurais certos. Então, pergunta-se: o que você fez com as informações e os exercícios dos capítulos anteriores? Se você está acordado, responsabilizando-se, comunicando com precisão, focado e se questionando, então já está com boa ou grande parte de suas crenças refeitas, pode levantar a cabeça e sonhar com o que há de melhor dentro e fora de você. 

Recupere a autoestima. A autoestima, numa explicação simples, é o bem-querer que uma pessoa tem por si mesma. Entretanto, para que ela se queira bem, ela precisa de uma combinação de três crenças que, juntas, dão forma ao indivíduo: a crença da identidade, que se refere ao ser (eu sou); a crença de capacidade, que se refere ao fazer (eu posso, eu sou capaz); e finalmente a crença de merecimento, que se refere ao merecer (eu mereço). 

A crença de capacidade é determinada pelo que você acredita ser capaz de fazer ou de aprender a fazer. É essa estrutura de crença que dita seu potencial de realização. No entanto, ela dita apenas o potencial de realização, pois a realização propriamente dita é determinada pela combinação da crença da identidade e da crença de capacidade. Estudos confirmam que, quando temos a crença de identidade forte, adequada e alinhada com a crença de capacidade, naturalmente passamos a construir a crença de merecimento. 

Resenha: Rogério H. Jonck 

Imagens: Unsplash e Reprodução

 

Ficha técnica: 

Título: O poder da ação – faça sua vida ideal sair do papel 

Autor: Paulo Vieira 

Primeira edição: Editora Gente