“A segurança tem que impulsionar os negócios e não engessar”

“A segurança tem que impulsionar os negócios e não engessar”

Em LIVE, executivos de tecnologia falam sobre os desafios da cybersecurity nas corporações neste novo contexto

Publicado em 15 de julho de 2020

A transformação digital abre janelas para oportunidades na mesma medida em que aumenta os riscos de ataques cibernéticos. Na LIVE “Os novos cenários de Cybersecurity” (assista aqui), realizada pelo Experience Club nesta terça-feira, 14/07, nosso CEO Ricardo Natale recebeu três executivos e especialistas em tecnologia para falar sobre como proteger o seu negócio. 

Estiveram conosco Marcelo Oliveira, Diretor de soluções e segurança da informação da Cielo, Marcia Tosta, CSO da Petrobras, e Gil Giardelli, Co-Founder da 5ERA. O episódio contou com o patrocínio de FICOLogMeIn e Oi Soluções.   

Confira os principais insights do debate. 

Gil Giardelli 

1-) “Estamos na era da economia do conhecimento. Ainda assim, vivemos a paixão pela ignorância por pessoas que optaram por não saber e resgatar um mundo que já foi” 

2-) “O novo mundo não comporta mais a liderança do ‘ser servido’. É tempo de liderar pelo exemplo com transparência, honestidade e valores éticos”  

3-) “Estamos na era das corporações 360 graus. São empresas que olham para o lucro dos stakeholders e são socialmente responsáveis. São atores sociais e comercias ao mesmo tempo” 

4-) “O 5G trará uma nova arquitetura. A tecnologia vai acabar com o conceito de bancarização, o phygital ganhará relevância. O conceito de multicanal dará espaço para o de contextos relevantes”  

5-) “Temos 220 milhões de celulares operando e um universo de analfabetos tecnológicos. Ao invés de uma agência reguladora, deveríamos investir em uma grade ação de Educação” 

6-) “A LGPD foi quase toda copiada das leis europeias que foram feitas para que os países pudessem se proteger das gigantes americanas e chinesas. Nós ficamos no meio disso”  

7-) “A tecnologia 5G vai desmontar tudo. O grande líder não será um país ocidental e de língua anglo saxônica. Os chineses estão criando uma nova rota da seda. Isso vai mudar o eixo de poder” 

 

Marcia Tosta 

1-) “O submundo tem sucesso porque trocam muito entre eles. Precisamos nos unir e compartilhar informações, aproveitar a inteligência coletiva das empresas”  

2-) “A LGPD é um caminho para que o privacy by design ganhe relevância. É uma evolução no que se refere ao respeito à privacidade”  

3-) “As empresas são como seres vivos, cada uma tem a sua cultura. Temos que falar o idioma e entender qual é o apetite das organizações para adequar o direcional de proteção”   

4-) “A segurança tem que impulsionar os negócios e não engessar”  

5-) “Uma empresa cuja estrutura não foi pensada junto a uma arquitetura de segurança não vai sobreviver”  

6-) “As pessoas só vão valorizar a segurança se fizer sentido para elas. Por isso, é importante se adaptar à linguagem de cada área e trazer situações reais” 

Marcelo Oliveira 

1-) “O investimento em segurança e resiliência de infraestrutura é proporcional às ambições e ao apetite do risco. Isso tem a ver com a indústria e a maturidade da empresa”  

2-) “O mundo da segurança é estratégico e precisa ser aliado aos desafios do negócio”  

3-) “A área de segurança não é apenas técnica, ela também é feita de soft skills. É necessário compreender os pilares da empresa para criar produtos e serviços matadores”.   

4-) “Não existe o mundo digital moderno sem cooperação e cocriação. E a segurança tem que estar no centro da experiência do cliente” 

Texto: Luana Dalmolin 

Imagens: Experience Club