Jovens líderes formam hubs para transformar as grandes cidades

Apoiados pelo Fórum Econômico Mundial, Global Shapers já estão em 13 cidades brasileiras, como São Paulo

Publicado em 30 de outubro de 2019

A intenção de transformar a sociedade e tornar o mundo melhor no futuro passa pela cabeça da maioria dos jovens, mas muitos não sabem como colocar suas ideias em prática. Entretanto, há uma comunidade em São Paulo com integrantes de 20 a 33 anos cujo objetivo é solucionar problemas em áreas como Educação, Inclusão e Diversidade, Empreendedorismo e Sustentabilidade. Denominada de Global Shapers, a iniciativa nasceu no Fórum Econômico Mundial, em 2011, e conta com comunidades em todo o mundo. Só no Brasil estão em 13 cidades e a da capital paulista é a maior delas, reunindo 50 jovens que realizaram mais de 15 projetos nos últimos 10 meses.

Um dos destaques teve como objetivo ambientar garotos da periferia à revolução tecnológica, ação que impactou 700 alunos de 28 turmas de instituições da Zona Leste e Grande São Paulo. “Mais de 70% desses jovens não sabiam o que é a revolução 4.0 e atingimos um resultado bem relevante”, diz Douglas Giglioti, empreendedor social em Educação e Sustentabilidade e um dos líderes do hub paulista. Entre os trabalhos também teve um que focou o combate a fake news nas escolas, onde foi criado um e-book sobre notícias falsas, e outro que foi uma consultoria de empreendedorismo para a fabricação de bonecas negras onde os jovens ajudaram em toda a estruturação do negócio.

Para fazer parte da comunidade, um processo seletivo avalia, principalmente, o potencial transformador do candidato. No hub em São Paulo, por exemplo, estão Anderson Pereira, CEO da Universia, iniciativa do Santander que visa aproximar universidades e empresas; e a advogada Janaína Lima, eleita vereadora em 2016. O próprio Giglioti é cofundador do Reconectta, que desenvolve projetos de sustentabilidade em escolas e instituições. “Por mais que a pessoa tenha vontade de transformar, avaliamos como ela aplica isso no seu dia a dia”, explica ele sobre a seleção anual de candidatos. 

Para mudar o mundo

Quem: Global Shapers, hub de voluntários que atuam em projetos transformadores.

Origem: Em 2011, no Fórum Econômico Mundial.

No Brasil: Desde 2012 e hoje somam 13 hubs em grandes cidades.

Faixa etária: De 20 a 29 anos para se candidatar.

Quem participa: Jovens com perfil de liderança empreendedora em suas áreas. Logística: Produto por ser dobrado no transporte.

Texto: Fábio Vieira

Fotos: Mario Águas