Nós vamos digitalizar o Brasil

Nós vamos digitalizar o Brasil

Magazine Luiza vai levar marketplace para dentro das lojas, diz Luiza Helena Trajano

Publicado em 5 de março de 2020

Se o Brasil precisa dar um “leapfrog”, o salto tecnológico necessário para se aproximar das economias que estão liderando a inovação no mundo, a empresária Luiz Helena Trajano está a postos para dar a sua contribuição. Seu alvo agora é o vasto ecossistema empreendedor brasileiro que continua à margem da transformação digital.

“Somente 20% das empresas no Brasil estão digitalizadas de algum jeito. É por isso que nós vamos ser a maior varejista de plataforma do país”, falou a presidente do conselho do Magazine Luiza, na abertura da Confraria de Economia, que abriu nesta quinta-feira, 5 de março, o calendário de encontros do Experience Club em 2020.

Na estreia do momento Women on Stage, Luiza Helena repassou os fatos mais marcantes dos últimos 20 anos de história do Magazine para uma audiência selecionada de 260 CEOs e lideranças empresariais reunidas no Villaggio JK, em São Paulo. Com jeito espontâneo e sempre descontraído, a empresária enfatizou a importância da aposta na transformação digital na expansão e consolidação da rede como um dos mais importantes agentes da inovação no varejo brasileiro.

Depois de reinventar o mercado com suas lojas virtuais no interior do país – que hoje somam 200 unidades com um perfil totalmente diferente do imaginado no início da década de 1990 – o novo objetivo da rede é transformar seu marketplace em uma plataforma para levar pequenos lojistas online ao mundo do varejo físico.

A iniciativa traz um elemento inovador importante para o mercado e para isso o Magazine Luiza continua investindo pesado em tecnologia. Segundo Luiza Helena, a rede já soma 1196 desenvolvedores digitais em dois labs, sediados em Franca e São Paulo. Uma novidade que chegará em breve nessa nova fase é a entrega de calçados na recém-adquirida Netshoes nas lojas do Magazine.

“Ser digital nada mais é que fazer as coisas de um jeito diferente”, diz Luiza Helena, sem medo de errar. O importante é tentar o novo. “Eu sou bem startup: começo no caos e depois eu vou arrumando”.

Texto: Arnaldo Comin

Fotos: Bruno Mooca | Experience Club