“O que significa ser humano em uma época de tantas mudanças?”

“O que significa ser humano em uma época de tantas mudanças?”

Em conversa durante o Fórum de Inovação e Alta Performance, Gil Giardelli e Guga Stocco falam como a tecnologia pode mudar o presente e o futuro

Publicado em 26 de novembro de 2020

Há uma ideia distópica de que as máquinas tomarão o lugar dos seres humanos na sociedade. Diferentes dos filmes de ficção, especialistas e cientistas acham que a colaboração entre ambos é mais factível.  “A Inteligência Artificial não substitui a pessoa, ela substituiu o trabalho repetitivo e o ser humano passa a fazer um trabalho criativo”, opina Guga Stocco, Founder da SQUADRA Ventures.

Em conversa durante o Fórum de Inovação e Alta Performance, promovido pelo Experience Club, entre os dias 24 e 25 de novembro, Guga Stocco e Gil Giardelli, Co Founder 5 ERA, falaram de futuro, mas também de como devemos agir no presente para projetar o amanhã que gostaríamos de ter. A dupla levantou questões sobre desenvolvimento, ética e estruturas sociais.

O evento contou com o patrocínio Master de AleloIBMSofttek e Vivo Empresas, patrocínio da EF e apoio especial de Julio Okubo.

Confira a cobertura completa do evento e abaixo alguns insights da conversa.

Guga Stocco, Founder da SQUADRA Ventures

“Quando a AI fica preditiva, torna-se extremamente poderosa e entraram dilemas éticos”

“O Digital Twin ainda depende da confluência de algumas tecnologias para funcionar”

“Quando você usa a mente para o bem, você consegue solucionar problemas”

“A confluência das tecnologias está na mão das pessoas e das empresas, não dos governos”

Gil Giardelli, Co Founder 5 ERA

“O Blockchain vai ser fundamental para reverter esse quadro de desigualdade”

“O mundo em que vivemos terá que ter uma destruição criativa”

“Saímos da era do ter para entrar a era do ser”

“A coisa mais fantástica que nós vamos viver será a aldeia global”

“Existe um aspecto da inteligência humana que a ciência não consegue entender e não será possível reproduzir nas próximas décadas”

Texto: Juliana Destro