Liderança 4.0.: quatro livros chave da nova economia

Resumimos e reunimos para você algumas obras que vão ajudá-lo a desenvolver habilidades e competências fundamentais para a era digital

Publicado em 2 de junho de 2021

O desenvolvimento de negócios de sucesso na nova economia, em geral, é alcançado por inconformistas dispostos a trilhar caminhos não convencionais, defendendo ideias que contrariam o pensamento corrente, mas que têm como resultado algo melhor. 

A criatividade para tanto é um atributo que qualquer pessoa pode desenvolver. Ao contrário do que diz o senso comum, não se trata de algo para poucos. 

Sendo assim, a crença de que é possível desenvolver as qualidades que se deseja ajuda a criar paixão pelo aprendizado. Para quem tem uma mentalidade de crescimento, ser bem sucedido significa fazer o melhor possível, aprender e superar-se. 

É uma questão de criar os hábitos certos para focar no que interessa. Lembrando sempre que as metas são meios, e não apenas fins, para quem pretende alcançar o sucesso profissional e uma felicidade duradoura.

Acima estão resumidos os insights de quatro dos principais livros de liderança e desenvolvimento pessoal resumidos recentemente pelo Experience Club: Originals, Mindset, A única coisa e Seja mais feliz.

Eles foram reunidos aqui porque se tornaram best sellers de negócios e, em nossa avaliação, trazem informações, exemplos e ensinamentos fundamentais para a formação de profissionais que querem se desenvolver como líderes na nova economia.

A seguir, reunimos outras ideias centrais de cada uma das quatro obras, para que você possa escolher o que ler no feriado, e o link para os resumos em nossa plataforma.

1 – Originais

Ideias centrais:

– Conformismo significa seguir a multidão, percorrendo os caminhos convencionais e mantendo o status quo. Originalidade é tomar o caminho menos trilhado, defendendo um conjunto de ideias que contrariam o pensamento corrente, mas que resultam em algo melhor.

– Na apresentação de novas ideias, é mais eficaz adotar uma comunicação desempoderada, acentuando os defeitos de sua ideia. A vantagem é que deixar os pontos fracos em primeiro plano desarma a audiência.

– Não é mera coincidência que alguns dos maiores inventores e investidores mais originais tenham sido procrastinadores. Um exemplo é Leonardo da Vinci. Estudiosos calculam que Da Vinci pintou Mona Lisa ao longo de vários anos, interrompendo e retomando o trabalho.

– Centenas de estudos apontam a mesma conclusão: embora os primogênitos costumem ser dominantes, conscienciosos, os caçulas são os mais abertos ao risco e à adesão a ideias originais.

– Triplique o número de ideias que você tem. Assim como os grandes jogadores de beisebol só acertam a bola a cada três tentativas de rebatê-la, todos os inovadores tentam e erram. A melhor forma de fortalecer sua originalidade é produzir mais ideias.

Sobre o autor:

Adam Grant é conhecido como influente estudioso de recursos humanos. Seu primeiro livro, Dar e receber, foi um best-seller do The New York Times. Grant tem PhD em psicologia organizacional pela Universidade de Michigan e bacharelado na Universidade Harvard.

Leia aqui o resumo em 15 minutos

2 – Mindset

Ideias centrais:

Você pode perceber como a crença de que é possível desenvolver as qualidades desejadas cria paixão pelo aprendizado. Por que perder tempo provando suas grandes qualidades, se você pode se aperfeiçoar?

Para os de mindset de crescimento, sucesso significa fazer o melhor possível, aprender e superar-se. E isso é o que encontramos nos campeões. “Para mim a alegria do atletismo nunca está somente no fato de vencer. Encontro tanta satisfação no processo quanto nos resultados”, diz Jack Joyner-Kersee.

A expressão “doce vingança”, que exprime a ideia de que com a vingança vem a redenção, deve ter sido cunhada por pessoas de mindset fixo, porque pessoas de mindset de crescimento não têm grande interesse em vingar-se.

Se os pais querem dar um presente aos filhos, a melhor coisa que podem fazer é ensiná-los a encarar desafios, ficar intrigados com seus erros, desfrutar do esforço e se manter aprendendo. Dessa forma, seus filhos não serão escravos do elogio.

Esses planos concretos – que você é capaz de visualizar – sobre quando, onde e como vai fazer alguma coisa, aumentam a possibilidade de êxito. Assim, a ideia não é só ter um plano de mindset de crescimento, mas também agir coerentemente para executá-lo.

Sobre a autora:

Carol S. Dweck, ph.D., é autoridade mundial nos campos da personalidade e psicologia social. Lecionou na Universidade Columbia e atualmente leciona na Universidade Stanford. Faz parte da Academia Americana de Artes e Ciências. Publicou também Self-Theories: Their Role in Motivation, Personality, and Development.

Leia aqui o resumo em 15 minutos

3 – A única coisa

Ideias centrais: 

– Empreendedores fazem mais cedo o que outros planejam fazer mais tarde e adiam, talvez por tempo indeterminado, o que outros fazem mais cedo. A diferença não está no propósito, mas no caminho certo. Empreendedores sempre trabalham a partir de um senso de prioridade. 

– Quando você vê pessoas que parecem disciplinadas, o que está vendo, na verdade, são pessoas que treinaram um punhado de hábitos em suas vidas. 

– A Pergunta Foco sempre direciona você ao melhor de escolhas e ações, forçando-o a fazer o que é essencial para o sucesso: tomar uma decisão. Não qualquer decisão, mas sim a melhor decisão. Ignora o possível e se resume ao que importa. 

– Vá a seu calendário e divida em blocos todo o tempo necessário para concluir sua ÚNICA Coisa. Se é uma atividade momentânea, divida em blocos as horas e os dias adequados. Se for algo regular, divida em blocos o horário adequado do dia, de forma que se torne um hábito. 

– Muitos entendem que a maestria é um resultado final, mas, em essência, ela é uma forma de pensar, um jeito de agir e uma forma de vivenciar. 

Sobre os autores: 

Gary Keller é o presidente do conselho e cofundador da Keller Williams Realty, Inc., a maior empresa de gestão de ativos da América do Norte.  Seus livros, best-sellers do The New York Times, já venderam mais de 1 milhão e 300 mil cópias em todo o mundo. 

Jay Papasan, antigo editor da HarperCollins em Nova York, é vice-presidente editorial da Keller Williams. Além disso, trabalha como palestrante e coach executivo. 

Leia aqui o resumo em 15 minutos

4 – Seja mais feliz

Ideias centrais: 

– Arquétipo de felicidade: pessoas felizes vivem seguras, sabendo que as atividades que lhes trazem contentamento no presente também guardam satisfações futuras. 

– Por si mesmas, a riqueza e a fama não têm valor: não haverá razão para buscar a fama e a fortuna se elas não contribuírem, de alguma forma, à felicidade. 

– As metas são meios, não apenas fins. Para a felicidade sustentável, precisamos mudar as expectativas quanto às nossas metas: em vez de percebê-las só como fins (realização que nos faça felizes), precisamos vê-las também como meios (prazer durante a jornada). 

– Já que frequentemente temos melhor desempenho quando lidamos com as coisas com que estamos mais engajados, buscar atividades que nos dão mais significado e mais prazer leva a sucessos mais quantificáveis no longo prazo. 

– Entender teoria da felicidade como prazer e significado não é suficiente para a felicidade duradoura. Se sentimos que não merecemos ser felizes, limitamos nossa aptidão a tanto. Não tenha medo de ser feliz.  

Sobre o autor: 

Tal Ben-Shahar é popular palestrante da Universidade de Harvard sobre psicologia positiva e psicologia de liderança. Tem Ph.D em comportamento organizacional e doutorado em filosofia e psicologia em Harvard.

Leia aqui o resumo em 15 minutos

Resumos: Rogério H. Jönck